Sem muitas delongas, em respeito ao leitor, que poderia investir o seu tempo em coisa melhor, eis uma opinião clara e objetiva sobre marketing e empreendedorismo, cujo conteúdo dificilmente será encontrado com a mesma sinceridade em qualquer outro lugar.

Antecipo, todavia, que a minha crítica se dirige ao marketing sensacionalista – que privilegia a forma em detrimento do conteúdo. Preservo os meus votos de respeito pelos cursos, professores, consultores e empresas de publicidade que atuam com a devida ética em suas atividades e orientações.

Antecipo, ainda, que os destinatários do presente artigo são especialmente os advogados e operadores do Direito, cujo conhecimento em marketing e empreendedorismo se faz imprescindível nos tempos modernos, mas nada impede que o conteúdo seja de proveito no exercício de qualquer profissão ou atividade comercial.

Como é de conhecimento de todo advogado, a publicidade na advocacia sofre muitas limitações pelo Código de Ética e Disciplina da OAB. Portanto, interessado desde jovem pela advocacia, antes mesmo de começar o curso de Direito dei início aos estudos de marketing e empreendedorismo jurídico.

Durante muitos anos coloquei em prática as mais diversas estratégias: aprendi a fazer artes gráficas, sites, redes sociais, links patrocinados, dentre outros. Tudo isso confiante na grande promessa de que este era o caminho para o sucesso profissional, quando, na verdade, os únicos beneficiados eram os autores que ganharam dinheiro vendendo aquelas obras que me serviram de “orientação”.

Em síntese… Eu não deveria ter perdido tanto tempo! Foi ao analisar a carreira de grandes juristas que percebi a verdadeira fórmula do sucesso, em um caminho diferente daquele que tanto me esforcei para acreditar que estava certo.

Cheguei à conclusão de que o marketing convencional é importante apenas a título complementar, cuja aplicação prática pode inclusive ser terceirizada para empresas ou profissionais especialistas no assunto.

O verdadeiro marketing são os próprios serviços oferecidos!!! O domínio da matéria e/ou área de atuação transforma o advogado em uma autoridade naquele assunto, de modo que a satisfação dos clientes e dos colegas (networking) fará com que estes reconheçam a qualidade e indiquem os serviços do profissional. 

Trata-se do denominado “marketing de conteúdo”. Afinal, mais importante do que ter um site para conquistar um cliente é fazer com que a satisfação de um cliente traga mais dois ou três com base em sua experiencia.

O marketing complementar tende a vir naturalmente! Não seria difícil, por exemplo, uma agência de publicidade digital se oferecer para fazer um site de graça a um renomado jurista, em troca apenas da autorização deste para que a empresa coloque os seus créditos no rodapé ao final do site. Outro exemplo seria uma empresa de secretariado se oferecer para administrar a agenda de compromissos de um renomado palestrante, em troca apenas da autorização deste para que a empresa divulgue a sua marca nos painéis dos eventos.

Acredite… A qualidade dos serviços é suficiente para transformar o seu nome em uma marca alvo de investidores. É claro que devemos ter a mente aberta para novas estratégias e oportunidades, mas nada impede que excelentes ofertas apareçam sem que o profissional tenha experiência com publicidade avançada. Isso depende apenas de você!

Estude bastante… Inspire-se nos melhores… Mantenha o foco e os objetivos… Garanto que saberá a hora e forma certa de investir no marketing tradicional!

Compartilhar
Categorias: Dicas e novidades